Internet e Saberes Populares no Trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde

Tema:
Relato de Experiência / GT O Pensamento Crítico e a Educação Emancipatória na Formação dos Trabalhadores de Saúde Mediada pelas Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC);
Texto (resumo):

Período de Realização da experiência
O trabalho foi realizado de setembro de 2015 a março de 2016.

Objeto da experiência
As páginas das unidades básicas de saúde na internet se caracterizam pelo uso de textos de fácil e rápida compreensão e de muitas imagens. São voltadas à oferta de informações e serviços e contêm conteúdos comuns, embora tenham identidade própria, por que cada página pode ser associada à comunidade atendida - pela fotografia da unidade em seu cabeçalho e ilustrações de notícias onde aparecem membros da equipe conhecida por todos, assim como a população participante de iniciativas. Este estudo exploratório buscou identificar o papel do Agente Comunitário de Saúde (ACS) na gestão das páginas, em vista de sua relevância na articulação dos saberes populares típicos dos territórios onde atua.

Objetivo(s)
Investigar em que medida o Agente Comunitário de Saúde (ACS) participa da publicação de conteúdos nas páginas das unidades básicas de saúde, considerando sua função estratégica junto à comunidade atendida pela Equipe de Saúde da Família e a influência de sua familiaridade com o contexto na produção de conteúdos para as páginas.

Metodologia
Identificação de páginas de cinco unidades básicas de saúde situadas na Zona Sul do Rio de Janeiro, que atendem a comunidades de baixa renda. A opção por essas unidades foi feita a partir de contatos anteriores desta equipe de pesquisa com Agentes Comunitários de Saúde (ACS) das localidades, que proporcionaram um conhecimento prévio da dinâmica de atuação desse profissional nas comunidades e junto às Equipes de Saúde da Família. Entre as unidades, três atendem a territórios da Rocinha e duas são destinadas à população do bairro de Botafogo, onde há também usuários de renda média. As páginas foram observadas para a avaliação de seu desenho, de conteúdos relacionados à organização da Atenção Primária à Saúde e de conteúdos específicos da unidade. Buscou-se identificar a presença de informações características das atividades dos ACS e a possibilidade de interação em redes sociais a partir das páginas.

Resultados
A observação das páginas foi realizada à luz do Referencial Curricular instituído em 2004 pelos ministérios da Saúde e da Educação. Segundo o documento, a ação do Agente Comunitário de Saúde (ACS) se caracteriza por questões relativas à cidadania, política, condições de vida, organização dos grupos e suas relações. Sua atuação requer conhecimentos que ultrapassam a área da Saúde e se ampliam na prática cotidiana. Nas páginas, os ACS estão vinculados aos programas, campanhas e iniciativas de promoção da saúde e prevenção de doenças divulgadas pelas unidades básicas. Há seções “assinadas” por ACS, como no caso do histórico de uma clínica de família (Clínica da Família Santa Marta). Outro indicativo da participação do ACS nas páginas aparece na seção “Histórias do ACS”, do Centro Municipal de Saúde Dom Hélder Câmara, onde são descritas situações reais de uma pessoa ou grupo da comunidade. As fotografias de ações junto à população, invariavelmente, têm a presença de ACS.

Análise Crítica
As páginas das cinco unidades básicas de saúde são canais unilaterais de difusão de informações para a população dos territórios atendidos. Apesar de serem páginas abertas a comentários, este estudo não encontrou qualquer participação da comunidade em postagens. Aquelas páginas que têm conexão com perfis no Facebook e no Twitter, as usam também como canais de divulgação. O uso da internet pelas unidades básicas reproduz as relações com veículos tradicionais de comunicação como espaços direcionados a um segmento de população, sem uma cultura de interatividade. Alguma identidade específica é alcançada pelo desenho da página e pela personalização proporcionada pelas fotografias dos profissionais nela postadas. A presença do Agente Comunitário de Saúde é marcante, definida por elementos relacionados a suas funções junto à comunidade e na Equipe de Saúde da Família.

Conclusões e/ou Recomendações
O uso de páginas institucionais como canais unilaterais de difusão de informações serve aos comunicados, sem favorecer a articulação dos saberes populares capazes de criar sinergia e lançar uma semente nas comunidades para sua mobilização pelas suas necessidades intrínsecas. Nesse aspecto, a habilidade do Agente Comunitário de Saúde é única, não pertencente a nenhum outro profissional das Equipes de Saúde de Família.
Apresentador:

Silvia Maria Magalhães Costa - silmag.costa@gmail.com
Dados dos Autores:
> Silvia Maria Magalhães Costa - Costa, Silvia M. M. - Next/Fundação Oswaldo Cruz
> Nilton Bahlis dos Santos - Santos, Nilton Bahlis - ENSP/Fundação Oswaldo Cruz

Tipo de arquivo: 
Apresentação
Ano: 
2016