Wiki: A Revolução da Comunicação

Ao colocar em comunicação um número ilimitado de repositórios de informação e viabilizar um processo de comunicação de múltiplos agentes em tempo real, o advento da Internet colocou alguns problemas teóricos e práticos novos para os pesquisadores em Comunicação e Ciência da Informação. Para os cientistas da informação, a necessidade de processamento de grandes volumes de informação demonstrou que não era possível viabilizá-lo com as técnicas tradicionais de indexação e classificação (SANTOS, 2002). Para os pesquisadores em comunicação, rompendo a separação entre autor e leitor, colocou em crise um paradigma que que se apoiava em uma concepção que, mesmo com todas as suas ressalvas, não conseguia fugir a uma visão da comunicação como um processo de transmissão de mensagens.
Os métodos de indexação e classificação utilizados não dão conta de processar e organizar a imensa quantidade de documentos, que cresce cotidianamente e que abrangem todas as disciplinas existentes. Com o surgimento e desenvolvimento do computador e com a criação do Gopher no início da Internet, o Hipertexto começou a se se mostrar como uma possibilidade concreta para . Mas o Gopher ainda trazia uma estrutura centralizada e em forma de árvore (com subdivisões sucessivas), refletindo hábitos centralizados de processamento característicos de sistemas simples de informação, sistemas fechados criados para tratar volumes de informação finitos.
O advento da WorldWideWeb (WWW), descentralizada, permitindo a incorporação de todo o tipo de informação e de relações, mas por mais que o Hipertexto se desenvolvesse, as tecnologias e os hábitos culturais da Ordem do Livro ainda mantinham nas mãos do “autor” o controle da decisão sobre as informações a serem divulgadas. Os “links” eram definidos pelo criador das páginas e para o leitor restava apenas escolher entre os caminhos que ele apresentava.
A tecnologia Wiki, uma das principais expressões do que se convencionou chamar de Web 2.0, recupera a lógica descentralizada do Hipertexto, superando a separação entre autor e leitor. Separação que é borrada quando é possível a qualquer um modificar o texto, ou, a partir de uma palavra, imagem ou qualquer ponto da página, estabelecer relações com outras informações que julgar conveniente abrir sua própria janela e colocar seu modo de ver.

Tipo de arquivo: 
Artigo
Evento / Disciplina / Periódico: 
Enancib
Ano: 
2009