Projeto PV - Utilização de Comunidades Virtuais como organizações de base do SUS

Os progressos na produção de vacinas, medicamentos e em técnicas e procedimentos para enfrentar as mais variadas enfermidades são imensos, mas elas continuam a existir e em alguns casos progridem devido às dificuldades para que estas tecnologias de saúde cheguem aos seus potenciais beneficiários.
As dificuldades são de toda ordem, mas mesmo quando recursos e infra-estrutura existem, os resultados são prejudicados pelas diferenças de contexto e por problemas de comunicação entre os que criam e manipulam as tecnologias de saúde e os ”usuários”.
Para responder e reduzir as distâncias e barreiras que se estabelecem entre ambos, dois tipos de iniciativas tem sido utilizadas: àquelas que visam estabelecer estratégias mais efetivas de comunicação e de promoção da saúde; e aquelas que se caracterizam como atividades de divulgação científica na área da saúde.
Em ambas as áreas existem hoje críticas as práticas desenvolvidas anteriormente. Na comunicação se recorre às teorias sobre produção social dos sentidos para fazer uma crítica às teorias comunicacionais de fundo difusionista/extensionista que acompanharam a atividade de comunicação na área da saúde (Cardoso, 2001; Pitta, 1995); no caso da divulgação científica ganha cada vez mais força o recurso às metodologias de educação não-formal
Esta crítica se insere em um movimento de busca de alternativa às políticas que pretendiam a pura e simples transferência de “conhecimentos científicos” do “cientista” para o “leigo”, trabalhando com conceitos que identificam informação à “conteúdo” ou “mensagem”, e comunicação à transmissão desta informação do “emissor” para o “receptor” através de uma espécie de canal. No caso da comunicação como no da divulgação científica, o objetivo era a crítica às práticas anteriores e a intenção de abordar o processo de produção e construção do conhecimento como um processo social, onde participam todos os envolvidos na sua produção, procurando-se assim superar a separação entre o “emissor” (ativo) e o “receptor” (passivo).

Tipo de arquivo: 
Projeto
Ano: 
2006

Palavras-Chave (tag):

Orientador: